Ceasa/MS Testa Funcionários e Todos Diagnósticos dão Negativo para Covid-19

Categoria: Geral | Publicado: segunda-feira, julho 19, 2021 as 12:29 | Voltar

Além da testagem, e mesmo com enormes desafios, o Ceasa/MS nunca parou com iniciativas contra a covid-19

 

Apesar das dificuldades impostas pela natureza da atividade no Ceasa/MS, a instituição continua trabalhando incansavelmente para monitorar e evitar o avanço da covid-19 entre seus colaboradores.

Na última sexta-feira (16), mesmo após várias pessoas já terem tomado vacina, houve testagem em massa de 32 funcionários da administração, sendo que nenhum testou positivo. O teste feito foi o de swap nasal, o mais eficiente atualmente no mercado, que tem precisão de mais de 97% nos resultados.

Trabalho constante - Além de mais essa rodada de testes, o Ceasa/MS conta com iniciativas importantes desde o início da pandemia. A Agência Estadual de Vigilância Sanitária Animal e Vegetal (Iagro), por exemplo, já realizou o controle sanitário por meio da desinfecção externa dos caminhões na portaria.

Todos os motoristas de caminhões e pessoas que entram no Ceasa/MS só têm sua entrada autorizada após aferição da temperatura.

O pátio do Ceasa/MS também passou por limpeza e higienização duas vezes, uma com auxílio do Exército Brasileiro e outra com apoio da Prefeitura de Campo Grande, como aconteceu em 2020.

O uso de máscara continua obrigatório, bem como a disponibilização de álcool em gel. "Funcionários com mais de 60 anos ou com comorbidade que apresentem qualquer sintoma, são mandados pra casa e só voltam com teste negativo e bem", diz o diretor-presidente, Daniel Mamédio.

O Ceasa/MS conta atualmente com 47 permissionários, que possuem cerca de 1500 funcionários. No total, circulam cerca de 5 mil pessoas todos os dias no pátio da entidade.

"Além dessas iniciativas constantes, tentamos orientar ao máximo os permissionários a seguirem as normas estabelecidas pelos decretos estaduais e municipais de combate à covid. É um esforço constante que nunca parou e só vai cessar após o fim da pandemia", conclui Daniel.

Publicado por: Fernando Begena e Hagar Nascimento

Utilizamos cookies para permitir uma melhor experiência em nosso website e para nos ajudar a compreender quais informações são mais úteis e relevantes para você. Por isso é importante que você concorde com a política de uso de cookies deste site.